segunda-feira, 15 de fevereiro de 2016

AS PAREDES DO MEU QUARTO

As paredes do meu quarto não falam,
Mas guardam tantos segredos,
Muitos sonhos que sonhei
Histórias que eu imaginei
Brincadeiras que inventei.
As paredes do meu quarto não escutam
E não escutaram as besteiras que eu disse
Não reclamaram do meu silêncio absoluto
Quando eu amei calado
A mulher que jamais toquei.
As paredes do meu quarto não sentem
Pois as dores dos murros que eu dei
Sei lá quem sentiu,
Se fui eu que bati
Ou se foi as paredes do meu quarto que não amam.

Fabrício Colombo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário