sexta-feira, 26 de fevereiro de 2016

MENINO LARGUE ESSE MORANGO E PEGUE UM LIVRO


Para muitos só um menino, pra mim, era muito mais. Ao passar de ônibus, naquela tarde de sol que queimara na pele, pude ver um menino que vendia morangos ao pé da sinaleira, logo me senti um incompetente.
Talvez ali estava por vontade própria, mas ele é só um menino, será que não deveria estar com aquele livro na Mão? Ou com aquela bolinha de gude no chão? Era triste ver o suor que escorria em forma de humildade, pois o garoto comprimentava a todos que passavam, mesmo sem comprar nada, ele balançava a cabeça, em forma de agradecer para quem o ouvia oferecer o tal morango.
Me senti inutil, ao chegar em casa, falei para minha namorada que nao gostei de ve-lo, não daquele jeito, logo me veio na cabeça a idéia de ser rico para poder suprir parte do sofrimento destes.
Se hoje eu fosse rico, eu iria atraz daquele menino, acompanharia-o até onde for, lhe daria uma quantia relevante, e diria: " Menino, larga esse morango e pegue um livro".
Guilherme Michel.

Nenhum comentário:

Postar um comentário