sábado, 19 de março de 2016

A PRIMEIRA VEZ

A ternura em teu riso
O sonho inesquecível
A lembrança mais doce
A flor que nunca secou
O segredo que se fez o universo
A lua que no céu brilhava
Reluzia no lago teu rosto
Tão perfeito como a criação
E nunca esquecer a sensação
De um mundo perdido
Entre olhos fechados
Lábios molhados
Matando a sede
Que o fogo queimava
Em desejos ardia
Dois corpos abraçados
E a vontade se sacia
Na magia dos movimentos
Teus gemidos, sinfonia
Minhas mãos percorriam
Nas letras da tua poesia
No momento em que nós descobríamos
O sabor do amor que se fazia.


FABRÍCIO COLOMBO

Nenhum comentário:

Postar um comentário