sexta-feira, 18 de março de 2016

DESEJO

Até quando resistiremos a esse desejo
A cada olhar que vai nos entorpecendo
A essa vontade louca
A cada abraço
A cada tocar de mãos
A sua pele em mim
Estamos enlouquecendo
E vamos ficando mais ardentes
Em cada beijo inocente
Que vai nos embriagando
Nessa viagem sonhada
Nossos corpos vão se unindo
Quase se entregando um ao outro
E o medo nos ronda
Em nossos olhares
É inútil lutar
Nossos corpos se colam
Já é impossível controlar
E a esse desejo vamos nos entregar.

Fabrício Colombo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário