segunda-feira, 18 de abril de 2016

A INTOLERÂNCIA EM NOME DE DEUS


Refletindo sobre os últimos atentados ocorridos em Bruxelas, capital da Bélgica, no início do ano em Paris e, antes em tantos outros lugares, uns mais noticiados outros menos.

Independente da repercussão todo atentado terrorista não é um ato político, também não é um ato de guerra; é simplesmente um ato de extrema covardia. As pessoas não tem como se defender, nem imagino o que está por vir e não estão envolvidas com os motivos pelos quais os terroristas justificam suas ações. Alias, por mais que se possa explicar a opressão sofrida por alguns povos islâmicos, não é a população civil, crianças, homens e mulheres comuns que tem que pagar o preço dessa insanidade.
Pensando um pouco melhor, até arrisco uma explicação: a intolerância. A intolerância, mãe da ignorância, pois todo terrorista é um ignorante e sua ação é a própria ignorância em estado bruto. O terrorista ignora a inocência das crianças, ignora a dignidade dos velhos, os sonhos dos jovens que não vão se realizar, as ausências de pais e mães que não serão superados. 
Todo terrorista ignora o amor, pois com certeza lhe falta. E principalmente para justificar seus atos, ignora a vida e mata em nome de Deus; logo em nome Dele, o Criador da Vida.
Fabrício Colombo (Março de 2016).

Nenhum comentário:

Postar um comentário