quarta-feira, 20 de abril de 2016

MINHA POESIA

Aqui, nessas folhas em branco
Coloco nas minhas palavras
Muito mais do que se imagina
Muito mais que elas possam dizer
Aqui, nas entrelinhas eu tenho a liberdade
Até invento a felicidade
Transformo a ilusão em verdade
Afirmo mentiras
Engano a solidão
Faço a luz em plena escuridão
De uma noite sem luar
Faço brilhar meu olhar
Me encanto com minhas paixões
Canto meus amores
Tento acalmar meu coração
Calar minhas angústias
Aqui tento até enganar o tempo
Senhor da razão
Prefiro não pensar
Que o tempo passa e vai passar
E tudo isso um dia acabar
E assim tento ter, tento ser
Na poesia que escrevo
Tudo aquilo que depois de acordar
Com o sonho foi navegar
Pelos mares distantes
Mas aqui, nessas palavras
Eu posso ser o que não fui
Dar o beijo que não dei
Amar o amor que inventei
Ah! Poeta quem queres enganar
Com esta poesia
Teu coração de criança
Quer ter esperança
Ou simplesmente que achar a cura
Para os delírios da tua loucura.

Fabrício Colombo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário