sábado, 23 de abril de 2016

VERGONHA


É lamentável a situação que chegou o Rio Grande do Sul, outrora considerado o melhor estado brasileiro para se viver, com economia forte, qualidade de vida de padrão europeu, melhor educação do país; etc. Foi-se esse tempo. 

Vivemos uma crise que segundo os estudiosos é decorrente de décadas de más administrações e gestões políticas sobre o público. Não tenho como discurso que o único culpado é o governo atual, pois sei que não é. Como foi referido é um conjunto de negligência e incompetência de vários governos. 
Entretanto, governantes são leitos para governar, para encontrar saídas, para atender a população, assim como professores se formam para ministrar aulas e tentar formar cidadãos melhores; assim, como médicos estudam para curar doentes, salvar vidas. E assim com todas as demais profissões que encontram problemas e procuram soluções. 
Só que eu e grande parte da população não aguentamos mais o discurso de crise, nós professores não aguentamos mais sermos sacrificados. A educação quer respirar sem a ajuda de aparelhos. Não bastasse a falta de estrutura, a falta de equipamentos, a falta do cumprimento de leis, a falta do cumprimento de direitos, a falta de respeito tanto do Estado como da de parte da sociedade para com nós, quero lembra-los que a escola não é creche, não temos obrigação de cuidar dos filhos dos outros, não é nossa função. Escola escolariza, professor formar cidadãos. E com certeza se a educação funcionasse de verdade não teríamos esses governantes, nem essa sociedade, provavelmente seríamos melhores.
Enfim, não bastasse à falta de quase tudo para educação, temos que passar pelo constrangimento de receber nosso salário aos poucos, ouvir piadas; e não venham me dizer que professor só reclama de salário, pois não conheço nenhum trabalhador que não queira receber pelo seu trabalho. Amor e dedicação tem limite, afinal meu médico não me atende por amor, meu dentista não me atende por amor, a dona do mercado não me doa comida por amor, o advogado não me atende por amor e o governo não me isenta dos impostos por amor. 
Vergonha, vergonha,vergonha......
Fabrício Colombo

Nenhum comentário:

Postar um comentário