segunda-feira, 6 de junho de 2016

AGONIA II

Enlouqueço no teu leito
Fico preso em teu peito
Mas asas criei
E como uma pássaro voei
Um abraço, encontro a liberdade
Num gesto o pássaro foi ferido
Esse pássaro sou eu
E você diz coisas que me magoam
Você faz coisas tão a toa
O meu amor e a razão
O infinito e a solidão
Que agonia, que falta de você
Sinto saudade e vontade de não te ver
Não dá para compreender
Por que a razão
Eu sinto esta estranha complicação
E se fosse resolver
Até ia te dizer.

Fabrício Colombo

Nenhum comentário:

Postar um comentário